segunda-feira, 23 de março de 2009

Textos de Teoria Musical

ARTIGO 2
POSTURA E POSICIONAMENTO

A importância de dominar um posicionamento correto de todo o corpo ao tocar um instrumento reflete diretamente em três fatores: conforto, menor desgaste e eficácia. É claro que, ao receber benefícios nestes três itens, principalmente para o iniciante, tornar-se-á muito mais fácil o aprendizado, pois o instrumentista terá que se preocupar somente com o aprendizado da técnica, esquecendo problemas como dores, cansaço e até o aparecimento de problemas ortopédicos com o passar dos anos.
Todas as informações deste artigo estão padronizadas para instrumentistas destros; se você for canhoto, por favor, inverta tudo, OK? (sem preconceito – minha esposa e meu filho são canhotos...)
NOTA IMPORTANTE: Estes padrões são universais e proporcionam benefícios comprovados. Para o iniciante e intermediário, recomenda-se o seu uso, a menos que aconteçam incômodos de origem física, quando deverá ser consultado um ortopedista. É claro que alguns dirão: Keith Richards toca com o dedão da mão esquerda sobre o braço; Pat Mettheny usa a parte redonda da palheta; Eddie Van Hallen segura a palheta com o polegar e 3.º dedos, e o cigarro aceso com o anelar e o dedinho, e o Slash usa uma correia com 3 metros de comprimento porque não necessita ver a escala (também, com aquele cabelo...), e mais blá, blá, blá....Tudo bem. Quando você estiver tocando 50% do que eles tocam, também poderá desprezar este artigo...


2.1.) Posição do Corpo

A postura correta do corpo influencia diretamente em seu rendimento; além de facilitar o acesso às partes do instrumento, evita o cansaço e dores. Deve-se sentar preferencialmente em um banquinho, sem encosto, de assento redondo, cuja altura permita que, ao sentar, suas pernas tenham um ângulo reto desenhado ao joelho. Isto evita dois problemas: se o banco for mais baixo, a articulação do joelho ficará dobrada em excesso, causando dor; se for mais alto, as pernas ficarão “penduradas”, pressionando a parte traseira da coxa, impedindo a livre circulação do sangue, causando dor, cansaço e “dormência” da perna. O assento deve ser redondo (preferencia às bordas arredondadas – também por causa da circulação sangüínea) para possibilitar um posicionamento correto na abertura das pernas, sem incomodar-se com pontas.
Você deve sentar-se à beira do banquinho, numa posição confortável e que forneça equilíbrio. As pernas devem ficar ligeiramente afastadas, para que se posicione o instrumento entre elas. Alguns músicos usam e recomendam um apoio para a perna esquerda – um pequeno banquinho, encontrado em lojas especializadas, de uns 8 a 10cm de altura. Experimente com alguns livros. Após posicionar o instrumento, caso se adapte melhor, utilize-o.
Sua coluna deve ficar “encaixada”: costas retas, ombros para trás, barriga retraída. NUNCA empine o “traseiro”, e NUNCA fique “corcunda” – estes procedimentos podem trazer sérios riscos à saúde com o passar dos anos, causando sifose, escoliose e outros males à coluna. (Sente-se assim sempre, não só ao tocar !!!).
LEMBRE-SE: em pé, a posição do instrumento deve ser semelhante àquela obtida sentado. Pode ser super-fashion andar pelo palco com a guitarra pendurada no joelho, mas isso vai acarretar uma série de problemas que serão demonstrados com os benefícios da correta postura. Após dominar o instrumento, você vai adaptar estes conselhos ao seu próprio estilo – mas os prós e contras, principalmente ortopédicos não mudarão. Pese, então, sua aparência e sua saúde, antes de adotar novas condutas.


2.2.) Posição do instrumento

Sempre use a correia – evita quedas, mesmo sentado.
O instrumento deverá ser apoiado na perna ESQUERDA, encostado ao abdômen; o braço deverá ficar a um ângulo aproximado de 45 graus para cima, em relação ao solo. Embora a princípio seja esteticamente um tanto quanto ridículo (he, he..), você notará que nesta posição é possível alcançar o 1.º traste com facilidade, enxergar toda a extensão do braço e posicionar comodamente a mão direita. Ao tocar de pé, o instrumento DEVE ficar nesta mesma posição – para isso, regule corretamente o comprimento da correia.
Se o posicionamento acima não permitir alcançar o 1.º traste, impossibilitar você de enxergar a escala e, no caso das meninas, incomodar o seio esquerdo, é muito possível que você esteja usando um instrumento grande demais para o seu tamanho. Tente, então, um instrumento menor (violões para crianças, guitarras e contrabaixos de corpo pequeno e escala curta), ou apoie o instrumento um pouco mais para a direita, ainda sobre a perna ESQUERDA.


2.3) Posição da mão esquerda

Aqui começa a parte BOA da coisa... O posicionamento da mão esquerda é talvez o aspecto técnico mais importante e mais difícil a ser dominado pelo iniciante (e talvez até por intermediários...), e por isso mesmo deve ser treinado com afinco e gerar uma auto-cobrança permanente, até tornar-se um hábito comum.
Como padrão universal, temos como dedos da mão esquerda:

1 = indicador
2 = médio
3 = anelar
4 = mínimo

2.3.1.) A Pestana

Basta alguém falar em “pestana”, que muita gente já começa a pensar em desistir. Afinal a pestana tem sido o carrasco responsável por alguns dos maiores traumas no estudo de instrumentos de corda em geral, sem falar na dor, nem falar na demora para trocar de acorde quando aparece uma pestana pela frente. Na verdade, a pestana existe para facilitar a troca dos acordes. As pessoas reclamam de dores no polegar, no indicador e no músculo que fica bem no meio deles. Bem, o motivo porque doí é simples: os músculos envolvidos no processo, não estão desenvolvidos o suficiente para fazer o trabalho, e acabam entrando em colapso, prejudicando o som e doendo. Felizmente, a solução também é simples: ginástica!

Exercício I: Usando só o polegar e o indicador, faça uma pestana simples na primeira casa do seu instrumento (não importa que normalmente o seu instrumento nem use pestanas, os exercícios darão força ao polegar). Aperte o dedo indicador da mão esquerda sobre todas as cordas e toque uma vez só. Em seguida avance uma casa, aperte as cordas e toque de novo uma vez só, repita até a sétima casa. Faça esse treinamento alguns dias.
Depois que essa “ginástica” surtir algum efeito, e estiver mais fácil produzir um som limpo, podemos usar pestanas de verdade:

Exercício II: Escolha uma pestana mais ou menos no meio do braço. Depois escolha três acordes (posições) que não sejam pestanas, e numere-os (acorde 1, acorde 2 e acorde 3).
Em seguida, sempre lembrando de tocar cada acorde só uma vez, vá trocando na seguinte ordem:
Acorde 1 , Pestana , Acorde 2 , Pestana , Acorde 3 , Pestana , etc...
Tente ir aumentando a velocidade aos poucos ...

Se vai ler, use iluminação adequada. Olhos gastam energia para ler...

Estude todo o dia, mesmo que seja pouco. Um, ou dois dias por semana, mesmo que sejam muitas horas, não rendem quase nada. Mas, uma hora por dia, se for todo dia mesmo (O ideal são pelo menos 2 horas), dá um melhor resultado. Mas tudo ocorrerá de acordo com o seu esforço.
Quando se toca em pé, deve-se dividir o peso do corpo entre as duas pernas. Quando se toca sentado, deve-se manter a espinha reta e os ombros relaxados. Isso evita má postura, má respiração, “cansaços” e desmotivações.


2.3.2.) Trocar de acordes

Um problema que cem por cento dos iniciantes enfrentam é que, para tocar o acompanhamento de uma música, no caso do violão, a mão esquerda fica parada em uma posição (também chamada de acorde), e a mão direita fica “batucando” o ritmo, até trocar a posição da mão esquerda e assim por diante .
Acontece que a mão esquerda demora demais até ficar ágil e habilidosa o suficiente para trocar na hora certa sem “atrasar” o ritmo. Ou seja: enquanto estamos no mesmo acorde, tudo bem, só a mão direita trabalha. Na hora de mudar de posição, que sufoco! Se descuidar, acaba “atrasando” ou “cruzando” o ritmo.

Solução:

Escolha três acordes bem diferentes entre si.
Numere cada um (1, 2, e 3)
Monte o acorde 1 e toque uma vez só.
Monte o acorde 2 e toque uma vez só
Monte o acorde 3 e toque uma vez só
Vá repetindo (1, 2, 3...) em seqüência cada vez mais depressa, mais depressa, até não precisar mais pensar antes de tocar qualquer um dos três, isto é: a mão vai “sozinha”.
Experimente com quatro acordes, depois com cinco, etc...Experimente também, passar a sequencia dos acordes de uma música, (uma nova canção, ou uma que é difícil de tocar).

O que muitos guitarristas não sabem...

É que os melhores e mais rápidos guitarristas do mundo, praticam seus exercícios de velocidade, em um violão comum, acústico, sem amplificadores. Isso porque o “peso” das cordas do violão é perfeito para um rápido desenvolvimento muscular dos dedos. Em uma guitarra elétrica, por causa das cordas macias e da amplificação, leva-se mais tempo, e dá muito mais trabalho até se atingir o mesmo progresso. Porque os músculos não são forçados, não se exercitam e não se desenvolvem tão bem.



2.3.3.) Posição do polegar

Veja os esquemas abaixo:

Figura 1

e. |---|---|---|---| Posicione seus dedos de acordo com a figura 1, nas quatro
B. |---|---|---|---| primeiras casas. Com os dedos nesta posição, a POLPA (digital)
G. |---|---|---|---| deve estar no MEIO do braço, diretamente atrás da corda G.
D. |---|---|---|---| Lembre-se: a pressão é feita com a POLPA do polegar, e não com o
A. |---|---|---|---| NÓ do dedo. Também não é padrão colocar o polegar SOBRE o
E. |-1-|-2-|-3-|-4-| braço, embora existam técnicas do uso do polegar para prender notas – mas isto é mais avançado e exige um domínio muito maior do posicionamento total da mão esquerda.

Figura 2


e. |-1-|-2-|-3-|-4-| Agora, com seus dedos posicionados como na figura 2, o polegar
B. |---|---|---|---| deverá estar atrás da corda e, diretamente atrás de seus dedos.
G. |---|---|---|---| Lembre-se, pressione o braço com a POLPA do polegar.
D. |---|---|---|---|
A. |---|---|---|---|
E. |---|---|---|---|



2.3.4.) Posição do pulso

O pulso deverá ficar, em qualquer ocasião, reto. Você deve ser capaz de traçar uma linha imaginária que passe pela parte de fora de seu antebraço e alcance a articulação de seus dedos com as costas da mão. Além disso, a palma da mão NUNCA deve apoiar-se no braço.
Os benefícios do correto posicionamento de polegar e pulso são comprováveis. Com o polegar do meio para baixo do braço, uma pessoa pode ter acesso de 8 a 10 casas da escala. Com o polegar posicionado na parte de cima do braço, pode-se alcançar no máximo 5 casas. Têm-se ainda alcance melhorado das cordas superiores, sem ocasionar “muting” (abafar as notas) indesejado. E ainda é saudável, porque com o passar dos tempos, especialmente utilizando-se alguma velocidade, existe obstrução de tendões e nervos da mão, podendo levar a ocorrência de L.E.R. (Lesão por Esforços Repetitivos).


2.3.5.) Posição da Palma da Mão

A palma da mão esquerda deve sempre permanecer paralela ao lado de baixo do braço do instrumento. Imagine uma linha passando entre o encontro de seus quatro dedos (excluindo o polegar) e a palma da mão. Esta reta deve ficar paralela ao lado de baixo do braço do instrumento. Principiantes tendem a deixar o lado da palma da mão próxima do indicador mais perto do braço do instrumento do que o lado do dedo mínimo. Um bom exercício para treinar esta postura é tocar os exercícios pseudo-cromáticos (colocarei alguns ao final deste artigo) com o lado da palma da mão próxima ao dedo mínimo ENCOSTADA à parte inferior do braço do instrumento. Este não é o procedimento correto, mas como exercício pode ajudar muito na correção da má postura da palma da mão esquerda.


2.3.6.) Posição do Dedo Mínimo

O posicionamento do dedo mínimo é um problema comum entre principiantes; é normal que ele se posicione distante da escala. Treine seu dedo mínimo para que ele fique SEMPRE a uma distância máxima de 1 polegada (aproximadamente. 2,5 cm) da escala.
Isto torna o seu retorno mais rápido, e auxilia no desenvolvimento da digitação com ele, já que é um dedo geralmente mais fraco do que os outros, pela falta de seu uso em outras atividades corriqueiras. Se o problema tornar-se um verdadeiro desafio, tente efetuar os exercícios pseudo-cromáticos da seguinte maneira: ao descer da 6.ª para a 1.ª corda, mantenha seu dedo pressionando a nota, até que você tenha que descê-lo para a corda seguinte; ao subir, posicione o mínimo na corda superior imediatamente após tocar a nota da corda em questão. (veja TAB no final). Na verdade, todos os dedos devem exercitar manter esta distância, mas na prática, o simples controle do mais rebelde – o mínimo – mantém os outros nos seus devidos lugares.


2.3.7.) Posição do Cotovelo Esquerdo

O posicionamento do cotovelo tem uma importância especial no contexto geral da “mão esquerda”. Seu posicionamento influi diretamente na posição do pulso e palma da mão, além de ser diretamente relacionado com a posição da coluna. Ele é como um “pêndulo” entre o corpo e sua mão esquerda. Seu posicionamento terá de ser encontrado individualmente, mas ficará num ponto nem muito perto e nem muito afastado da lateral de seu corpo. LEMBRE-SE: o braço deverá ficar relaxado, e você não deve sentir o peso do cotovelo como uma carga, e sim, como um ponto de equilíbrio.
NOTA: As unhas da mão esquerda devem estar sempre bem cortadas, o mais rente possível, e bem lixadas, para que haja perfeito contato das pontas dos dedos com as cordas.

Baseado nos autores e artigos abaixo:
Tim Fullerton – fullerto@cis.ohio-state.edu
Curso Revista Guitar Player – www.guitarplayer.com.br
Trechos extraídos da apostila “Dicas, Truques & Exercícios” de Walter Rocha Marques
Publicado no site “A Casa das Cifras” (http://www.casa.cifras.nom.br), em 12/09/1.999.

2.4.) Posição da Mão Direita

Se o seu posicionamento corporal e do instrumento estiver conforme foi descrito no início deste artigo, seu antebraço direito deverá estar formando um ângulo de aproximadamente 160 graus com o braço do instrumento. Este ângulo pode variar um pouco – alguns músicos tocam com o braço quase paralelo às cordas, como uma continuação delas – mas deve-se evitar é que seu braço direito fique perpendicular às cordas. Por este motivo, começamos posicionando o instrumento à altura do abdômen – mesmo quando de pé. Quanto mais baixo, mais perpendicular ficará seu braço direito.
Agora, dois enfoques básicos: o uso dos dedos e o uso da palheta.


2.4.1.) Usando os dedos da Mão Direita

Antes de continuarmos, outro conceito, os nomes dos dedos da mão direita:

p = polegar (t = thumb)
i = indicador (p = pointer)
m = médio (m = medium)
a = anular (r = ringer)

Qualquer que seja seu instrumento – violão, baixo ou guitarra – existem técnicas para o uso dos dedos da mão direita ao tocar, sem a palheta. Para isto, devemos primeiro adequar a mão direita a isto.
Um ponto importantíssimo para o uso dos dedos da mão direita são as unhas. O seu uso é primordial para que se obtenha um som claro e definido; sem elas, o som ficará “abafado”, além da formação de calos nos dedos, o que pode interferir também no som, pela irregularidade da superfície.
Os dedos i, m, a DEVEM ter as unhas com tamanho adequado. A unha do polegar pode ou não ser usada, de acordo com o gosto e estilo de cada músico; como o polegar geralmente trabalha com a marcação dos bordões (baixos), é até lógico que o som seja obtido de maneira diferente dos outros dedos. Alguns músicos utilizam um acessório chamado “dedeira” (feita de plástico ou osso – encontrada em music shops), que substitui a unha do polegar, dando assim uma variedade no som obtido pelo músico.
O uso do dedo mínimo não é muito popular, embora não seja descartado de forma alguma – músicos clássicos, flamencos e até baixistas usam este dedo. Se você estudar ou desenvolver técnicas com sua utilização, mantenha a unha deste dedo como as dos i, m, a.
As unhas do i, m, a devem estar com um comprimento tal que, ao olhar o dedo pelo lado da digital, seja possível enxergar um pedaço mínimo de unha. Na prática, o comprimento deve ser tal que ao passar o dedo pela corda, seja ouvido o som obtido pela unha com facilidade, mas nunca comprida demais para dificultar a passagem do dedo pela corda (ou seja, não pode “prender” na corda).
As unhas devem ser lixadas e polidas, acompanhando a forma da ponta dos dedos, sem nenhuma irregularidade, para que não “prendam” na corda ou façam barulhos indesejáveis. Mantenha-as assim para que elas o ajudem, e não o contrário.


2.4.2.) Tocando com os dedos da Mão Direita

A técnica para tocar utilizando os dedos baseia-se muito no seu estilo; basicamente, a posição da mão direita será a seguinte: o pulso ficará a uma pequena distância do tampo do instrumento; a mão se posicionará sobre o aro, no violão, e na guitarra, de acordo com o som que se deseja obter (escolha de captadores e timbre) – mas numa posição semelhante.
O polegar ficará separado dos outros dedos da mão direita, fazendo uma linha quase reta com o lado superior do antebraço. No caso de se tocar utilizando a unha, ele se posicionará da mesma forma, só que um pouco mais virado para o instrumento. Os dedos i, m, a ficam perpendiculares às cordas, semi-curvados, com as pontas dos dedos prontas para tocar as cordas.
Os dedos da mão direita podem tocar utilizando duas técnicas: com ou sem apoio. Com apoio, eles tocarão a corda e “descansarão” na corda seguinte, sem tocá-la; sem apoio, tocarão a corda e não encostarão em corda nenhuma após o fato. Alguns músicos utilizam o apoio para o polegar e sem apoio para o resto dos dedos, como uma forma de localizar a mão direita relativamente às cordas. Embora diversos professores adotem esta técnica para iniciantes, a fim de obter um condicionamento para o posicionamento da mão direita, deve ser utilizado por um tempo limitado, porque, embora facilite a localização das cordas, cria um vício na necessidade de um “guia” para os dedos. O guia para os seus dedos deve ser a sua técnica e o seu cérebro.
Se você tocar baixo, defina bem seu estilo para deixar ou não as unhas da mão direita crescerem. O som da unha nas cordas do contrabaixo realça o som agudo, mais metálico. Se esta for sua intenção, tudo bem. Mas lembre-se: para tocar contrabaixo com as unhas você terá que ter cuidado dobrado com elas – as cordas são muito mais prejudiciais ao seu formato, exigindo manutenção contínua, e podem até quebrá-las.


2.4.3.) Tocando com a palheta (“picking”)

A palheta (pick) é um assessório obrigatório para a maioria dos guitarristas, baixistas e até violonistas modernos. Seu som é característico, claro, e seu uso com técnica apurada fornece velocidade e precisão indiscutíveis. São poucos os grandes guitarristas se utilizam somente dos dedos para tocar e solar (Mark Knopfler, do Dire Straits é um grande exemplo).
As palhetas são encontradas em diversos formatos, tamanhos e espessuras. Para começar, escolha uma palheta de formato regular (quase triangular, com os cantos arredondados), de espessura média. Após acostumar-se com seu movimento, você pode experimentar outras espessuras e tamanhos.
O posicionamento da mão direita para tocar com a palheta é o seguinte: ela deve ser segurada entre a polpa do dedo polegar e o nó da última articulação do dedo indicador, com a ponta voltada para as cordas do instrumento. Os outros dedos da mão direita devem ficar curvados para dentro da palma. NÃO se deve apoiar qualquer dedo no instrumento, NEM a mão sobre a ponte ou cavalete. Estes maus-hábitos devem ser cortados desde o início, pois são dificílimos de abandonar após instalados. (imagine você acostumar com o apoio na ponte e precisar, um dia, tocar com uma guitarra equipada com Floyd Rose.... vai ser engraçado – senão trágico...)
A área de contato entre palheta/corda é de, no máximo, 1mm. A superfície da palheta deverá ficar paralela à corda, e não transversal. Embora alguns espertos acreditem que esta técnica dá mais velocidade, o som obtido não é claro. Existem músicos que utilizam a técnica da palhetada inclinada para obter um timbre diferente em uma ou outra música, mas não é um padrão a se seguir. Você deverá buscar precisão e velocidade com a técnica correta. A palheta deve ser segura de maneira firme: não com força, mas suficientemente segura para não cair durante seu uso.
O movimento da palheta é obtido de duas maneiras: com o movimento dos dedos ou com o movimento do pulso.
O movimento de dedos é conseguido pelo movimento do polegar para frente e para trás ou para cima e para baixo, sobre a palheta, como se fosse uma gangorra, usando o dedo indicador como suporte. O curso da palheta deverá ser mínimo, para que se consiga um movimento uniforme e rápido.
O movimento da palheta através do pulso é obtido ou com a rotação do pulso ou com o deslocamento do pulso para os lados. Vamos exagerar: para perceber a rotação, segure a palheta do modo correto. Agora, vire sua palma da mão para cima, e depois para baixo. Isto é rotação do pulso. É claro que este movimento deverá ser mínimo, quase imperceptível. Vamos ao deslocamento lateral. Segure a palheta do modo correto. SEM MEXER O BRAÇO direito, posicione a palheta na direção da 6.ª corda, depois, na direção da 1a. Notou como sua mão desloca-se lateralmente em relação ao pulso?
Você viu que, na verdade, as 2 maneiras podem ser efetuadas de 4 jeitos. Tente todas, para ver qual se adapta melhor a você. Uma dica: NÃO faça o movimento vir do cotovelo. Além de descontrolado, este movimento ocasiona cansaço e dores, além de problemas ortopédicos futuros, pela tensão exagerada que é utilizada. Faça o seguinte: se o movimento através dos dedos é difícil para você, faça os movimentos vindos do pulso, MAS CONCENTRE-SE NOS DEDOS. Parece ridículo, mas o esforço direcionado para os dedos para no pulso, e evita o movimento do cotovelo.
Existem diversos estilos de palhetada, mas vamos começar com 3: sweep up (só pra cima), sweep down (só pra baixo) alternate (alternado). Acho que os nomes se auto-esplicam... treine os 3 no início, para acostumar-se com o posicionamento, pulos entre as cordas, movimento. Procure obter sempre o MENOR movimento possível da mão direita. Isto proporciona um costume que lhe levará a dominar as palhetadas, obter clareza, técnica e velocidade com o tempo.
Hora de levar para a prática tudo o que vimos desde o começo:


Exercícios

NÃO ESQUEÇA de nenhuma das recomendações de postura avaliadas até aqui. Lembre-se sempre de estar se auto-policiando, até que se torne um hábito. Os exercícios estão em TAB's (tablaturas). Esta notação é muito utilizada hoje em dia, por ser muito mais simples do que um partitura. se você não conhece TAB's, leia o artigo 3.) LENDO TABLATURAS antes de continuar. Sempre que for estudar ou tocar, faça um RELAX total, seguindo este guia:
Sente-se:
relaxe seu couro cabeludo
relaxe suas pálpebras
relaxe suas bochechas
relaxe seu nariz
relaxe suas orelhas
relaxe sua mandíbula
relaxe seu pescoço
relaxe sua garganta
relaxe seus ombros
relaxe suas costas
relaxe seus deltóides
relaxe seus bíceps
relaxe seus tríceps
relaxe seus antebraços
relaxe seu peito
relaxe seu abdômen
relaxe seus braços
relaxe sua cintura
relaxe suas nádegas (he, he...)
relaxe suas coxas
relaxe seus calcanhares
relaxe seus pés
relaxe os dedos dos pés
relaxe seus pulsos
relaxe suas mãos e dedos
Adote um exercício (provavelmente, um cromático) para aquecer, SEMPRE. Fazendo isto, no máximo em 5 minutos, você começará tocando sem tensões, e sem aquele negócio de chegar, pegar o instrumento e sair tocando, o que nem sempre traz algo produtivo de início.


1.) Escala pseudo-cromática (pseudo por ser uma “falsa-escala”)

Este é o exercício mais comum em aulas de guitarra – mas é tão básico que é utilizado como “aquecimento” até para instrumentistas experientes. Obs.: se você sentir dificuldade nas 4 primeiras casas, comece na altura da 5.ª casa, onde elas são mais estreitas). Treine em todas as casas. Faça este exercício utilizando palhetadas somente para baixo, somente para cima e alternadas. Assim ele será altamente útil para ambas as mãos.

e. |------------------------------------------1-2-3-4-3-2-1---------|
B. |---------------------------------1-2-3-4----------------4-3-2-1-|
G. |-------------------------1-2-3-4--------------------------------|
D. |-----------------1-2-3-4----------------------------------------|
A. |---------1-2-3-4------------------------------------------------|
E. |-1-2-3-4--------------------------------------------------------|

etc...
Se você sentir pressão demasiada do polegar contra o braço, procure fazer o mesmo exercício algumas vezes sem colocar o polegar no braço. Você vai perceber que não é a força que fará o rendimento do exercício melhorar, e sim, a técnica.


2.) Corrigindo o posicionamento do mínimo

Descendente:
e. |------------------------------------------1-2-3-4-|
B. |---------------------------------1-2-3-4-(4-4-4)--|
G. |-------------------------1-2-3-4(4-4-4)-----------|
D. |-----------------1-2-3-4(4-4-4)-------------------|
A. |---------1-2-3-4(4-4-4)---------------------------|
E. |-1-2-3-4(4-4-4)-----------------------------------|
Obs.: Somente SEGURE a nota entre parênteses, NÃO toque!

Ascendente:

e. |-5-4-3-2----------------------------------------------|
B. |--(5-5-5)-5-4-3-2-------------------------------------|
G. |-----------(5-5-5)-5-4-3-2----------------------------|
D. |--------------------(5-5-5)-5-4-3-2-------------------|
A. |-----------------------------(5-5-5)-5-4-3-2----------|
E. |--------------------------------------(5-5-5)-5-4-3-2-|


3.) Exercícios de Cromatismo

3.1.) Exercício 1. Apresentando o cromatismo.

Se você já fez aula de guitarra alguma vez na vida, já deve ter visto este exercício antes, mas não custa nada relembrar o que já foi visto, até por que os exercícios seguintes são apenas variações deste exercício.

. v ^ v ^ ...
e. |---------|---------|---------|---------|---------|-5-6-7-8-|---------|
B. |---------|---------|---------|---------|-5-6-7-8-|---------|-5-6-7-8-|
G. |---------|---------|---------|-5-6-7-8-|---------|---------|---------|
D. |---------|---------|-5-6-7-8-|---------|---------|---------|---------|
A. |---------|-5-6-7-8-|---------|---------|---------|---------|---------|
E. |-5-6-7-8-|---------|---------|---------|---------|---------|---------|

e. |---------|---------|---------|---------|---------|---------|---------|
B. |---------|---------|---------|---------|---------|---------|---------|
G. |-5-6-7-8-|---------|---------|---------|---------|---------|---------|
D. |---------|-5-6-7-8-|---------|---------|---------|---------|---------|
A. |---------|---------|-5-6-7-8-|---------|---------|---------|---------|
E. |---------|---------|---------|-5-6-7-8-|---------|---------|---------|

e. |---------5-6-7-8-9-8-7-6---------|-----------------9-8-7-6-5-6-7-8-|
B. |-5-6-7-8-----------------9-8-7-6-|---------8-7-6-5-----------------|
G. |---------------------------------|-5-6-7-8-------------------------|
D. |---------------------------------|---------------------------------|
A. |---------------------------------|---------------------------------|
E. |---------------------------------|---------------------------------|

d= X 1 2 3 4 3 2 1 1 2 3 4 4 3 2 1 1 2 3 4 4 3 2 1 1 2 3 4 4 3 2 1
e. |------------------------------------------------------------------|
B. |------------------------------------------------------------------|
G. |------------------------------------------------------------------|
D. |------------------------------------------------------------------|
A. |------------------------------------------------------------------|
E. |-0-1-2-3-4-3-2-1-2-3-4-5-6-5-4-3-4-5-6-7-8-7-6-5-6-7-8-9-10-9-8-7-|




d= 1 2 3 4 4 3 2 1 1 2 3 4 4 3 2 1 1 2 3 4 4 3 2 1
e. |----------------------|------------------------------------|
B. |----------------------|------------------------------------|
G. |----------------------|------------------------------------|
D. |----------------------|------------------------------------|
A. |----------------------|------------------------------------|
E. |-8-9-10-11-12-11-10-9-|-8-9-10-11-10-9-8-7-6-7-8-9-8-7-6-5-| etc...

d= X 1 2 3 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4
e. |------------------------------------------------------------------|
B. |------------------------------------------------------------------|
G. |------------------------------------------------------------------|
D. |------------------------------------------------------------------|
A. |------------------------------------------------------------------|
E. |-0-1-2-3-1-2-3-4-2-3-4-5-3-4-5-6-4-5-6-7-5-6-7-8-6-7-8-9-7-8-9-10-|

d= 1 2 3 4 1 2 3 4 4 3 2 1 4 3 2 1 4 3 2 1 4 3 2 1 4 3
e. |----------------------|-------------------------------------------|
B. |----------------------|-------------------------------------------|
G. |----------------------|-------------------------------------------|
D. |----------------------|-------------------------------------------|
A. |----------------------|-------------------------------------------|
E. |-8-9-10-11-9-10-11-12-|-12-11-10-9-11-10-9-8-10-9-8-7-9-8-7-6-8-7-| etc...



3.2.) Exercício 2. Explorando outras digitações para o exercício 1.

Neste primeiro exercício nós vamos utilizar um padrão de cinco notas por tempo, ou seja, vamos digitar uma nota a mais para cada tempo, com relação ao exercício anterior.

. v ^ v ^...
e. |-----------|-----------|-----------|-----------|-----------|
B. |-----------|-----------|-----------|-----------|-----------|
G. |-----------|-----------|-----------|-----------|-----------|
D. |-----------|-----------|-----------|-----------|---------5-|
A. |---------5-|-------5-6-|-----5-6-7-|---5-6-7-8-|-5-6-7-8---|
E. |-5-6-7-8---|-6-7-8-----|-7-8-------|-8---------|-----------|

e. |-----------|-----------|-----------|-----------|-----------|
B. |-----------|-----------|-----------|-----------|-----------|
G. |-----------|-----------|-----------|---------5-|-------5-6-|
D. |-------5-6-|-----5-6-7-|---5-6-7-8-|-5-6-7-8---|-6-7-8-----|
A. |-6-7-8-----|-7-8-------|-8---------|-----------|-----------|
E. |-----------|-----------|-----------|-----------|-----------| etc...


Agora vamos explorar o mesmo exercício, só que utilizando seis notas para cada tempo. O exercício não muda muito visualmente falando, porém sua digitação vai ficar bem mais complicada o que vai ser muito bom para auxiliar em sua precisão e agilidade.


. v ^ v ^...
e. |-------------|-------------|-------------|-------------|
B. |-------------|-------------|-------------|-------------|
G. |-------------|-------------|-------------|-------------|
D. |-------------|-------------|-------------|-----------5-|
A. |---------5-6-|-------5-6-7-|-----5-6-7-8-|---5-6-7-8---|
E. |-5-6-7-8-----|-6-7-8-------|-7-8---------|-8-----------|

e. |-------------|-------------|-------------|-------------|
B. |-------------|-------------|-------------|-------------|
G. |-------------|-------------|-------------|-----------5-|
D. |---------5-6-|-------5-6-7-|-----5-6-7-8-|---5-6-7-8---|
A. |-5-6-7-8-----|-6-7-8-------|-7-8---------|-8-----------|
E. |-------------|-------------|-------------|-------------| etc...


3.3.) Exercício 3. Montando um fraseado sobre cromatismos.

Este exercício tem por finalidade, apresentar um uso prático para cromatismos, ou seja, vamos mostrar como um grande guitarrista como Jon Petrucci (Dream Theater) utiliza os cromatismos em seus solos. Este exemplo foi extraído de uma video aula onde Jon está improvisando e nos explicando como utilizar esta técnica. Só um lembrete: este exemplo só fica interessante quando tocado muito rápido.

. v ^ v ^...
e. |---------------------------------------------------------------------|
B. |----------------------------------------------------------9-10-11-12-|
G. |----------------------------7-8-9-10-11-10-9-8-9-10-11-12------------|
D. |-------------------7-8-9-10------------------------------------------|
A. |----------7-8-9-10---------------------------------------------------|
E. |-7-8-9-10------------------------------------------------------------|

e. |-9-10-11-12-13-12-11-10----------------------------------------------|
B. |------------------------13-12-11-10----------------------------------|
G. |------------------------------------13-12-11-10----------------------|
D. |------------------------------------------------13-12-11-10-9-10-11--|
A. |---------------------------------------------------------------------|
E. |---------------------------------------------------------------------|

e. |---------------------------------------------------------------------|
B. |---------------------------------------------------------------------|
G. |---------------------------------------------------------------------|
D. |-12-11-10-9-8--------------------------------------------------------|
A. |--------------11-10-9-8----------------------------------------------|
E. |------------------------11-10-9-8-~~~~-------------------------------|



3.4.) Exercício 4. Explorando todas as variações possíveis sobre o exercício 1.

Este é o tipo de exercício que eu chamo de o estado da arte, isto por que tudo o que pode ser feito sobre cromatismos esta representado na tablatura abaixo.

. v ^ v ^...
e. |---------------------------------------------------------------------|
B. |---------------------------------------------------------------------|
G. |---------------------------------------------------------------------|
D. |---------------------------------------------------------------------|
A. |---------5---------------6---------------7---------------8-----------|
E. |-5-6-7-8---8-7-6-5-6-7-8---8-7-6-5-6-7-8---8-7-6-5-6-7-8---8-7-6-5---|

e. |---------------------------------------------------------------------|
B. |---------------------------------------------------------------------|
G. |---------------------------------------------------------------------|
D. |---------------5-6-5---------------5-7-5---------------5-8-5---------|
A. |-------5-6-7-8-------8-7-6-5-6-7-8-------8-7-6-5-6-7-8-------8-7-6-5-|
E. |-6-7-8---------------------------------------------------------------|

e. |---------------------------------------------------------------------|
B. |---------------------------------------------------------------------|
G. |---------------------------------------------------------------------|
D. |-------6-7-6---------------6-8-6---------------7-8-7-----------------|
A. |-5-7-8-------8-7-6-5-6-7-8-------8-7-6-5-6-7-8-------8-7-6-5-6-7-8---|
E. |---------------------------------------------------------------------|

e. |---------------------------------------------------------------------|
B. |---------------------------------------------------------------------|
G. |---------5-6-7-6-5---------------5-6-8-6-5---------------5-7-8-7-5---|
D. |-5-6-7-8-----------8-7-6-5-6-7-8-----------8-7-6-5-6-7-8-------------|
A. |---------------------------------------------------------------------|
E. |---------------------------------------------------------------------|

e. |-------------------------------------------------------------------5-|
B. |-----------------------------------------------5-6-7-8-7-6-5-6-7-8---|
G. |---------------6-7-8-7-6---------------5-6-7-8-----------------------|
D. |-8-7-6-5-6-7-8-----------8-7-6-5-6-7-8-------------------------------|
A. |---------------------------------------------------------------------|
E. |---------------------------------------------------------------------|

e. |---------------5-6-5---------------5-6-7-6-5---------------5-6-7-8-7-|
B. |-8-7-6-5-6-7-8-------8-7-6-5-6-7-8-----------8-7-6-5-6-7-8-----------|
G. |---------------------------------------------------------------------|
D. |---------------------------------------------------------------------|
A. |---------------------------------------------------------------------|
E. |---------------------------------------------------------------------|

e. |-6-5---------------5-6-7-8-9-8-7-6-----------------------------------|
B. |-----8-7-6-5-6-7-8-----------------9-8-7-6---------------------------|
G. |-------------------------------------------9-8-7-6-------------------|
D. |---------------------------------------------------9-8-7-6-----------|
A. |-----------------------------------------------------------9-8-7-6---|
E. |-------------------------------------------------------------------9-|

e. |---------------------------------|
B. |---------------------------------|
G. |---------------------------------|
D. |---------------------------------|
A. |---------------5---------------6-|
E. |-8-7-6-5-6-7-8---8-7-6-5-6-7-8---| etc...



3.5.) Exercício 5. “X” – Explorando digitações com várias mudanças de corda para treinar palhetadas

Este exercício é muito interessante, pois permite a você que utilize várias mudanças de cordas (saltos) o que é muito bom para quem precisa aumentar a precisão sobre fraseados rápidos.

. v ^ v ^ ^ ^ ^ v ^ v v v v ^ v ^ ^ ^ ^ v ^ v v v
e. |--------------------------------------------------|
B. |--------------------------------------------------|
G. |-------------1-2-3-4-----------------1-2-3-4------|
D. |-----------2---------3-------------2---------3----|
A. |---------3-------------2---------3-------------2--|
E. |-1-2-3-4-----------------1-2-3-4------------------| etc...


3.6.) Exercício 6. Saltos, mais cromatismos mudando de cordas...

Este exercício é muito interessante, pois permite a você que utilize várias mudanças de cordas (saltos) o que é muito bom para quem precisa aumentar a precisão sobre fraseados rápidos.

. v ^ v ^ ^ ^ ^ v ^ v v v v ^ v ^ ^ ^ ^ v ^ v v v
e. |--------------------------------------------------|
B. |--------------------------------------------------|
G. |-------------1-2-3-4-----------------1-2-3-4------|
D. |-----------2---------3-------------2---------3----|
A. |---------3-------------2---------3-------------2--|
E. |-1-2-3-4-----------------1-2-3-4------------------| etc...


3.7.) Exercício 7. Mais opções de cromatismos em “X”

Mais “Xs”, este é mais um exercíco baseado em cromatismos que utilizam uma digitação em formato de “X” e que tem por objetivo auxiliá-lo com sua precisão e facilidade em trocar de cordas durante suas frases ou solos.

. v ^ v ^ v ^ v ^ v ^ v ^ v...
e. |-----------------------4-1--------------------------|
B. |---------------4-----3-----2-----1------------------|
G. |-------4-----3-----2---------3-----2-----1----------|
D. |-----3-----2-----1-------------4-----3-----2--------|
A. |---2-----1-----------------------------4-----3------|
E. |-1---------------------------------------------4----|


3.8.) Exercício 8. Speed Picking

d= 1 1 4 1 3 2 1 4 3 1 3 1 3 4 1 4 3 1 4 1 3 4 2 4 3 1
e. |---------|-------------|---------|---------|---------|---------|
B. |---------|-------------|---------|-5-------|---------|-6-------|
G. |---------|-------------|---5-7-8-|---8-7-5-|---5-7-8-|---8-7-5-|
D. |---------|-7-6-5-------|-7-------|---------|-8-------|---------|
A. |-5-----5-|-------8-7-5-|---------|---------|---------|---------|
E. |---5-8---|-------------|---------|---------|---------|---------|

e. |-------5-------|-------7-------|-------8-------|
B. |-5-7-8---8-7-5-|-5-7-8---8-7-5-|-5-7-8---8-7-5-|

G. |-------4-------|-------5-------|-------7-------|
D. |-4-5-7---7-5-4-|-4-5-7---7-5-4-|-4-5-7---7-5-4-|

A. |-------3-------|-------5-------|-------7-------|
E. |-3-5-7---7-5-3-|-3-5-7---7-5-3-|-3-5-7---7-5-3-|

d= 2 1 1 3 2 2 4 4 2 1 2 4 4 2 1 3 4 4 3 1
e. |-----------|-----------|-----------|-----6-5-3-|
B. |-----------|-----------|-----------|-5-6-------|
G. |-----5-7---|-----------|-----5-3-2-|-----------|
D. |---5-----7-|-----------|-3-5-------|-----------|
A. |-7---------|-----5-3-1-|-----------|-----------|
E. |-----------|-3-5-------|-----------|-----------|

d= 2 1 3 2 1 4 2 1 4 3 1 4 3 1 4
e. |---7-9-|---7-11-|---7-12-|----7-10-|----7-12-|
B. |-9-----|-9------|-9------|-10------|-10------|
G. |-------|--------|--------|---------|---------|
D. |-------|--------|--------|---------|---------|
A. |-------|--------|--------|---------|---------|
E. |-------|--------|--------|---------|---------|

e. |-------2-----------2---2-----------2-4-5-4-2-------|
B. |-2-3-5---5-3-2-3-5---5---5-3-2-3-5-----------4-3-2-|
G. |---------------------------------------------------|
D. |---------------------------------------------------|
A. |---------------------------------------------------|
E. |---------------------------------------------------|

e. |-5-4-2-|-------|-------|-----------|-----------|-------------|---5-8-V-5---5-8-V-5-|
B. |-------|-5-4-2-|-------|-----------|-----------|---5-8-V-5---|-5---------8---------|
G. |-------|-------|-5-4-2-|---5-7-V-5-|-------5---|-7---------7-|---------------------|
D. |-------|-------|-------|-7---------|-5-V-7---7-|-------------|---------------------|
A. |-------|-------|-------|-----------|-----------|-------------|---------------------|
E. |-------|-------|-------|-----------|-----------|-------------|---------------------|




3.9.) Exercício 9. Sweep Picking

d= 1 2 1 4 1 2 3 1 1 4 3 1 1 4 3 1 1 1 4 3 2
e. |-------12-15-v-12-------|---------|---5-8---|-----5-8-----|
B. |----13------------13----|---5-8---|-5-----8-|---5-----8---|
G. |-12------------------14-|-5-----7-|---------|-5---------7-|
D. |------------------------|---------|---------|-------------|
A. |------------------------|---------|---------|-------------|
E. |------------------------|---------|---------|-------------|

Tom: Am
e. |-------------------5-8---5-|-------0-5-V-0-|-----5-8-V-5-----|------8-12-V-8------|
B. |-----------5-8---5-----8---|-----1---------|---5---------5---|---10----------10---|
G. |---5-7---5-----7-----------|---2-----------|-5-------------5-|-9----------------9-|
D. |-5-----7-------------------|-2-------------|-----------------|--------------------|
A. |---------------------------|---------------|-----------------|--------------------|
E. |---------------------------|---------------|-----------------|--------------------|

Tom: A Tom: Am
e. |-----5-9-v-5-----|------9-12-v-9------|-------12-17-|---------5-----------|
B. |---5---------5---|---10----------10---|----14-------|---5-v-8---8-v-5-----|
G. |-6-------------6-|-9----------------9-|-14----------|-5---------------5---|
D. |-----------------|--------------------|-------------|-------------------7-|
A. |-----------------|--------------------|-------------|---------------------|
E. |-----------------|--------------------|-------------|---------------------|

Tom: G
e. |-------3-5-7-8-7-5-------|--------7-8-10-12-10-8---------|
B. |-3-5-7-------------8-7-5-|-7-8-10----------------12-10-8-|
G. |-------------------------|-------------------------------|
D. |-------------------------|-------------------------------|
A. |-------------------------|-------------------------------|
E. |-------------------------|-------------------------------|

e. |----------10-12-14-15-14-12----------|----------13-15-17-19-17-15-----------15-|
B. |-10-12-13-------------------15-13-12-|-13-15-17--------------------19-17-15----|
G. |-------------------------------------|-----------------------------------------|
D. |-------------------------------------|-----------------------------------------|
A. |-------------------------------------|-----------------------------------------|
E. |-------------------------------------|-----------------------------------------|


Pratique estes exercícios todos os dias, em todas as casas, (usando as mesmas cordas, no caso dos exercícios cromáticos, pratique em todas as cordas), no mínimo 2 minutos por exercício, e em pouco tempo notarás a diferença de velocidade, técnica e agilidade. Para um melhor aproveitamento, seria necessário seguir a digitação indicada (d =).
Comece os exercícios com muita calma e atenção. Fique completamente relaxado e preste muita atenção ao seu posicionamento. Vá bem devagar e atenha-se, por enquanto, à colocação de dedos, movimento de palheta, enfim, técnica em geral.
E lembre-se: para aprender a tocar você precisa de 3 coisas: paciência, Paciência e MUITA PACIÊNCIA.

Baseado em:
Henrique Pinto & Webster Santos – www.cafemusic.com.br/guitarplayer/curso
Tim Fullerton – fullerton@cis.ohio-state.edu
Publicado no site “A Casa das Cifras” (http://www.casa.cifras.nom.br), em 19/09/1.999.
Cifraclub – www.cifraclub.com.br

Nenhum comentário: